Eu é Outrem 

de Alexandre Sá

 

 

O QUE É O PROJETO?

 

A exposição reúne seis artistas e o curador (que também apresentará seu trabalho) que discutem de maneiras distintas a presença do corpo em suas variações. Para isto, linguagens diversas são utilizadas e o objetivo primeiro desta proposta é expor um conjunto de obras (fotografia, vídeo, texto e pequenas intervenções no espaço) que construirão um panorama lúcido e inovador sobre o conceito de corpo e a alteridade. Será por Alexandre Sá (também participante como artista) e discutirá de maneiras distintas a presença do corpo em suas variações. Para isto, linguagens diversas são utilizadas, apresentando um conjunto de obras que desembocarão em um panorama inovador sobre o conceito de corpo e a alteridade. A escolha dos artistas se deu em virtude da diversidade das poéticas e da pluralidade de meios utilizados, além do ineditismo da reunião dos mesmos e da possibilidade de compreensão da corporeidade em sentido ampliado. Os artistas envolvidos são: Alexandre Sá, Ao Leo, Daniela Mattos, Elisa de Magalhães, Jonas Arrabal, Jorge Soledar e Leo Ayres.

QUAIS OS OBJETIVOS DO PROJETO?

 

Exposição com duração de 60 dias. Programação gratuita.Público estimado: 16.000 pessoas ao longo da temporada.

 

Mesa-redonda com a presença dos artistas e do curador.Apresentação única. Atividade gratuita aberta ao público.

 

Duas visitas guiadas feitas pelo curador para moradores de comunidades carentes, integrantes da Associação "Meninas e Mulheres do Morro" (www.meninasemulheresdomorro.org.br).Atividade gratuita a ser realizada dentro da sala de exposição.Público estimado: 50 pessoas por visita guiada, totalizando 200 pessoas.

 

Um encontro (feito pelo curador) com duração de 4 horas para professores da rede pública e particular de ensino sobre arte contemporâneaAtividade gratuita e aberta ao público mediante inscrição prévia por email.

 

Está previsto a contratação de dois monitores, estudantes de artes, que transmitirão ao público detalhes das obras apresentadas na exposição.Esses monitores serão orientados pelo curador

Catálogo - Tiragem de 1000 exe, formato 28 x 31 cm, 4/4, miolo papel couche, cerca de 50 laudas de textos e 200 imagens em 250 páginas.

PORQUE PATROCINAR ARTES VISUAIS?

 

O patrocínio para realização de projetos de artes visuais vai muito além de viabilizá-los, movimenta um segmento importante da economia criativa, pois é um dos responsáveis  por gerar uma riqueza de R$ 155,6 bilhões para a economia brasileira em 2015 (ano da última pesquisa da Firjan), 900 mil postos de trabalho no Brasil, 328 mil em São Paulo e 99 mil no Rio de Janeiro. Uma empresa ao patrocinar Artes Visuais está associando a sua marca à projetos que via de regra são gratuitos ou com preços acessiveis possibilitando dessa maneira o acesso indistino a repertórios experimentais, bem como ampliando a interface entre obras artística e expectador. A empresa que  fomenta as artes visuais, dentre outras ações:  (i) amplia sobre maneira a formação de novas plateias; (ii) potencializa o valor da marca; (iii) fortalece o posicionamento de negócio; (iv) aumenta o relacionamento com novos contatos e potenciais clientes; (v) gera emprego e renda (vi) estímulo a criação do artista (vii) retorno de 100% do valor investido em marketing;

 

 

 

 

QUAIS OS PRODUTOS RESULTANTES DO PROJETO?

 

1) Exposição

 

2) Livro digital sobre o projeto

 

3) Visitas guiadas para jovens e professores da rede pública

 

4) Landing page

 

5) Catálogo

 

 

 

 

QUAL O PLANO DE DIVULGAÇÃO?

 

1) Contratação de assessoria de imprensa (exposição / e-book / visitas guiadas)

 

2) Impulsionamento redes sociais;

 

3) Mídia digital (web) paga

 

 

COMO SERÁ REALIZADA A EXPOSIÇÃO DA MARCA DO PATROCINADOR?

 

Os produtos resultantes do projeto serão disponibilizado ao público gratuitamente.

 

O catálogo digital será disponibilizado para o patrocinador para encaminhamento a clientes e forncecedores. 

 

A logomarca do patrocinador será aplicada em todo o material de divulgação do projeto.

 

Em todos os meios de divulgação do projeto será mencionada com destaque as empresas patrocinadoras

 

 

INVESTIMENTO

 

Valor: R$350 a 430 mil

 

 

PÚBLICO ALVO

 

Apreciadores de arte, amantes do Rio de Janeiro, pesquisadores, fotógrafos,  designers, críticos de arte, artistas, curadores, arquitetos e estudantes de arte  e público em geral.
 

 

 

 

 

LEI DE INCENTIVO

 

Lei Rouanet (Lei Federal de Incentivo à Cultura)

 

 

ARTISTAS PARTICIPANTES

 

Alexandre Sá (Idealizador, curador e artista)

Currículo resumido: Alexandre Sá vive e trabalha no Rio de Janeiro. É doutor e mestre em Linguagens Visuais pela Escola de Belas Artes da UFRJ e licenciado em História da Arte pela UERJ. É um profissional híbrido que trabalha com as mais diversas linguagens (instalações, performances, objetos e vídeos) e sua pesquisa plástica tem como preocupação estética as relações entre o texto, a imagem, a poesia, a psicanálise e o corpo. Uma de suas particularidades é o diálogo entre teoria e prática, pois atua também crítico, escrevendo textos para revistas especializadas; além de desenvolver trabalhos como curador. É professor e coordenador de graduação do Instituto de Artes da UERJ e do curso de Artes Visuais da Unigran.

 

AoLeo

Currículo resumido: Nasceu, vive e trabalha no Rio de Janeiro. Desenvolve sua produção tendo a fotografia como dispositivo poético principal. No entanto, a construção de suas imagens se dá através da captura de um conjunto de ações “que envolvem a presença ou o rastro deixado pelo corpo do artista” ou de intervenções espaciais com o uso de linhas e espelhos, tanto em áreas urbanas quanto em paisagens naturais. Atualmente, é mestrando em Linguagens Visuais na Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Além da prática artística, AoLeo é coordenador do A(R)TERRO, projeto de arte educação realizado no Parque do Flamengo, onde desenvolve os ateliês a céu aberto.

 

Daniela Matos

Currículo resumido: Artista, educadora e curadora independente. Desenvolve sua produção em artes visuais desde o início dos anos 2000 com enfoque nas práticas da performance, fotografia, videoarte e escrita de artista. Dentre suas exposições individuais destacam-se:• Um teto todo meu (MAC - Museu de Arte Contemporânea de Niterói, 2014/2015)• Make Over (Museu de Arte Moderna Aloísio de Magalhães, Recife, 2007)Suas principais exposições coletivas:• Da Escrita Delas, Elas (Galeria do Lago, Museu da República, 2015)• 7ª Bienal do Mercosul (Radiovisual, Porto Alegre, 2009)• Video links Brazil: an anthology of Brazilian video art (Tate Modern, Londres, 2007)• Conversations (Galeria Skuc, Ljubliana)

 

Elisa de Magalhães

Currículo resumido: Artista visual, vive e trabalha no Rio de Janeiro. É doutora em Artes Visuais pela EBA/UFRJ, mestre em Artes pelo Instituto de Artes da UERJ e pós-doutoranda pela UFF/CNPq.Sua obra e sua pesquisa giram em torno das questões do corpo e apresentam-se tanto através de uma presença física em performances, quanto através de uma virtualidade em fotografia e vídeo.Suas instalações cruzam o virtual e o físico e instigam a participação do espectador. É professora adjunta naEBA/UFRJ.

 

Jonas Arrabal

Currículo resumido: De Cabo Frio, RJ - vive e trabalha no Rio de Janeiro. É mestrando em Artes Visuais pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Possui graduação em Artes Visuais, habilitação em teoria do teatro, pela UNIRIO. Entre a fotografia, vídeo e instalação, é pertinente em sua pesquisa artística questões como a escrita e a voz como uma ideia de escultura. Movimentos de desaparecimento, transição, memória e ficção também são questões presentes em sua poética com uma influência com o teatro e cinema.

 

Jorge Soledar

Currículo resumido: Artista e doutorando em linguagens visuais pela UFRJ e bacharel em história, teoria e crítica de arte pela UFRGS. Seus trabalhos misturam linguagens desde ações, instalações e fotografias que abordam o tema das perversões de modo risível. Assim, o uso de diversos materiais (madeira, gesso, massas) são experimentados para assujeitar o outro a uma condição de objeto, com o desejo de expor diversas agressões e constrangimentos do humano em sociedade.Atualmente, é professor de teorias da arte contemporânea e performance do curso de artes visuais com ênfase em escultura, pela UFRJ.Soledar é representado pela Portas Vilaseca Galeria.

 

Leo Ayres

Currículo resumido: (Rio de Janeiro, 1975) é artista. Estudou de 2005 a 2009 na Escola de Artes Visuais do Parque Lage. Foi selecionado em 2010 no Novíssimos do Ibeu (Rio de Janeiro, RJ) e no Programa de Exposições do MARP (Ribeirão Preto, SP). Expôs individualmente no Centro Cultural Ibeu (Tananan Opera Chanchada, 2013), Centro Cultural do Banco do Nordeste(Deixe as Luzes Acesas, 2012), Galeria Oscar Cruz (Como Eu, 2011), Cosmocopa (Discoteca de Mão, 2011) e Furnas Cultural (Operação: Camuflagem, 2008). É idealizador do projeto ObaOba (Rio de Janeiro, São Paulo e Lisboa) que questiona o papel do curador como promotor de eventos. Participou da organização da exposição da exposição Coquetel no Casteli

 

 

 

 

 

QUERO PATROCINAR

Encaminhe uma mensagem para receber mais informações sobre esse projeto.

 

 

 

 

Somos a Fase 10 Ação Contemporânea, um escritório de criação / produção. Realizamos trabalhos no campo da cultura com ética e profissionalismo.

CONECTE-SE

SHORTCUT

  • White Facebook Icon
  • White Twitter Icon

© 2020 todos os direitos reservados

  Rio de Janeiro - RJ - Brasil